Assine nossa Mala Direta

Inscreva seu Email

Biblioteca da Mídia Paraibana

Janaine Aires

Aqui reunimos artigos e estudos sobre a produção midiática do estado que estão disponibilizados na internet e em periódicos virtuais. Nosso objetivo é colaborar para a difusão deste conhecimento e oferecer um conjunto de trabalhos capazes de subsidiar a reflexão sobre a mídia paraibana.


 Viviane Marques Guedes
Universidade Federal da Paraíba
   Universidade Estadual da Paraíba – UEPB


O artigo analisa o projeto "A Gata da Serra" do jornal Diário da Borborema, dos Diários Associados. Criado com o objetivo de alavancar as vendas do periódico aos domingos, o projeto ocupava a capa do caderno de cultura do jornal e trazia imagens de garotas da região em poses sensuais. O autor passeia pela história da imprensa na Paraíba e se apoia em sociólogos como Foucault e Bourdieu para discutir a exploração do corpo feminino.

Resumo
À luz de Bourdieu e de Foucault, o presente artigo discute o uso do corpo feminino como ferramenta para alavancar a circulação de jornais impressos na Paraíba, a partir da experiência do Diário da Borborema, de Campina Grande, com sua coluna dominical “A Gata da Serra”. Sob pretexto de mostrar “as belezas da mulher campinense” e de descobrir talentos que poderiam brilhar na passarela do mundo da moda, o jornal, pertencente aos Diários Associados, publicou durante quase três anos, de julho de 1997 a novembro de 1999, fotos de pelo menos uma centena de paraibanas em trajes minúsculos e poses sensuais na sua primeira página e na capa do Caderno de Cultura. O DB, na verdade, tentava de forma desesperada, com tal prática, diminuir o encalhe de suas edições de domingo. Ao invés de investir na qualidade de seu noticiário, cada vez mais prejudicado pelas imposições do horário industrial, que exigia praticamente fechar a edição dominical na sexta-feira, o jornal aderiu à Lei do Menor Esforço e contribuiu para difundir uma visão preconceituosa da mídia em relação à mulher, além de alimentar um discurso recheado de eroticidade. Dividido em quatro partes, este artigo analisa a trajetória do DB no Alto da Serra da Borborema; o mercado de mídia impressa paraibano e as razões para o uso de estratégias condenáveis para alavancar a circulação; e a experiência “A Gata da Serra” propriamente dita, com seus resultados práticos. Por fim, reflete sobre algumas questões de ordem ética acerca de suas conseqüências. 

Palavras-chave: Mídia; representação da mulher; identidade.



O trabalho apresenta reflexões sobre a abordagem de quatro veículos paraibanos monitorados sobre os direitos reprodutivos e sexuais das mulheres. O acompanhamento dos veículos foi realizado entre os meses de setembro de 2006 a junho de 2007. As autoras destacam a intersecção nacional dos dogmas da igreja católica na agenda de debates do tema, ressaltando a atuação do arcebispo da Paraíba, Dom Aldo Pagotto, que tem grande penetração nas mídias do estado e se constitui como principal fonte requisitada pelos jornalistas paraibanos. Os resultados da pesquisa apontam para a necessidade de aprimorar a intervenção do movimento feminista na mídia.

Resumo
O presente artigo visa apresentar resultados da pesquisa  Mídia, Religião, Direitos Sexuais e Direitos Reprodutivos na Paraíba, realizada pela Cunhã Coletivo Feminista, que envolveu o monitoramento de três jornais impressos e um portal de notícias entre setembro de 2006 e junho de 2007. A pesquisa teve como  objetivo mapear a abordagem da mídia paraibana em relação aos temas dos direitos  reprodutivos e direitos sexuais e o espaço ocupado pelas instituições religiosas nos meios de comunicação sobre estes temas. Neste trabalho, serão enfocadas as análises em relação ao tema do aborto na mídia paraibana.  As instituições religiosas têm na mídia  um canal de reprodução de valores e de formação de opinião e suas lideranças se configuram como importantes fontes de notícias local e nacional. Vale destacar o crescente investimento destas instituições no setor de comunicações (mídia impressa e eletrônica) no Brasil. A estratégia de ocupação dos espaços da mídia acontece no contexto de avanço  dos fundamentalismos religiosos no mundo, em especial o católico, visando a manutenção  de um poder político-religioso que ameaça a laicidade do Estado. Neste sentido, o aborto, a homossexualidade, a eutanásia e as pesquisas com células-tronco são temas prioritários na agenda conservadora fundamentalista em contraposição aos movimentos em defesa das liberdades democráticas e do Estado laico.


JULIENE PAIVA DE ARAÚJO OSIAS


O artigo reflete sobre o fenômeno do preconceito linguístico adotando o “Jornal Já” como objeto de análise e o apresentando como um veículo de comunicação que rompe com as normas cultas da língua portuguesa, visando promover a interação com outros modelos de  anifestação linguística. A autora defende que o periódico rompe com as normas da gramática e, de certo modo, colabora com a quebra da “ideologia do preconceito linguístico” e suas implicações no âmbito social.

Resumo A ideologia do preconceito linguístico baseia-se numa norma linguística culta e de prestígio social, não levando em consideração que outras manifestações linguísticas – sejam elas orais ou escritas – podem ser eficientes na interação entre os falantes da língua. A questão é que esse preconceito extrapola o âmbito da linguagem, atuando também no âmbito social, por exemplo, sempre amparado e difundido pela Gramática Tradicional, pela prática pedagógica, pelos livros didáticos e pela mídia, transmissora e cristalizadora de regras do falar bem e do escrever bem. Neste contexto, entretanto, analisar-se-á (do ponto de vista de alguns aspectos gramaticais e de níveis de linguagem) uma mídia que rompe com essa tradicional manutenção da patrulha dos puristas em nome da norma gramatical: o Jornal Já Paraíba, tabloide do Sistema Correio de Comunicação que circula no estado da Paraíba.



CATARINA DE OLIVEIRA BURITI

A informação jornalística pode ser utilizada como um instrumento que contribui para o desenvolvimento. A mídia pode exercer um papel educativo, valorizar a cultura local e destinar seu espaço a uma informação contextualizada que fomente grandes debates a respeito das principais problemáticas municipais/regionais. OBJETIVOS: Analisar as informações jornalísticas na mídia impressa da Paraíba e a sua relação com o processo de desenvolvimento local nos contextos municipais. METODOLOGIA: Foi feito um levantamento de todas as matérias relativas a esses municípios publicadas no Jornal Correio da Paraíba e no Jornal da Paraíba entre o período de junho de 2004 a junho de 2005. Também foram realizadas entrevistas semi-estruturadas com o editor do caderno Cidades do Jornal Correio da Paraíba. Utilizaram-se técnicas de Análise de Conteúdo através das quais foi realizado o processo de categorização das matérias relacionadas com os municípios. RESULTADOS: Os dados coletados no Correio da Paraíba evidenciam que esse impresso enfatiza os temas do cenário político-partidário dos municípios do Estado, redirecionando as matérias para promover a gestão de prefeitos e de outras autoridades locais, e realiza a cobertura municipal mediante a realização de contratos econômicos firmados entre a empresa jornalística e as prefeituras. Constatou-se o fato do Jornal da Paraíba priorizar em suas abordagens os temas policiais e de maior impacto nos contextos municipais em detrimento dos assuntos relativos à cultura, educação, economia agricultura, meio-ambiente, etc. CONCLUSÃO: A maioria das informações jornalísticas municipais publicadas no Jornal Correio da Paraíba e no Jornal da Paraíba são matérias informativas que carecem de aprofundamento e contextualização. O enaltecimento exacerbado de grupos partidários locais, a mera divulgação de ações governamentais, a ênfase aos fatos policiais desviando-se dos temas que promovem e fortalecem a cultura, educação, economia, agricultura, meio-ambiente e entre outros temas são fatores que impedem que a mídia impressa do Estado da Paraíba exerça uma função educativa e pedagógica e contribua efetivamente para o desenvolvimento da população municipal. 


LAERTE CERQUEIRA E AMANDA BRAGA

Este artigo busca refletir sobre as condições do processo de produção do discurso jornalítisco paraibano no caso do desastre da barragem de Camará.

DISSERTAÇÃO DE MESTRADO

LAERTE JOSÉ CERQUEIRA DA SILVA
ORIENTADORA: Profª. Drª. Ivone Tavares de Lucena  

“Reinventar as coisas do mundo”, o jornalismo vive desse predicado constante e ininterrupto. São histórias do e no cotidiano, construídas no embalo do tempo, algoz dessa prática, que emergem nos enunciados e suas cadeias, envoltos por uma materialidade inseparável. Entender o traçado do nascimento dessas histórias no jornalismo foi o caminho deste trabalho; uma tentativa de compreender, que a representação padronizada do cotidiano, ditada nos jornais impressos, são verdades de uma “história imediata”, heterogênea, adequada ao momento, lugar e relação, são vontades de verdades que se estabelecem e versões de um espelho que reflete mais de uma realidade, que reflete vários interesses. O nosso pilar são os conceitos da Análise do Discurso de linha francesa, especificamente de Pêcheux e Foucault, que nos ajudaram a perceber o que “pode” estar aquém e além da manchete perfeita ou de um texto jornalisticamente bem trabalhado. Para isso, utilizamos algumas matérias da cobertura do Jornal Correio da Paraíba e Jornal da Paraíba, sobre o “Desastre de Camará”, ocorrido em junho de 2004, no qual uma cidade foi totalmente destruída e cinco pessoas morreram. Essa é mais uma tentativa de perceber como o sujeito-jornalista, em sua posição e interpelação, apropria-se de estratégias da enunciação e do discurso para produzir, em seu assujeitamento, efeitos de sentidos diversos. Um caminho sob a força e égide da ordem, condições de produção, práticas discursivas, onde se constrói memória, constitui-se arquivo, onde o interdiscurso no intradiscurso move dizeres antigos a lugares que o faz novo. É o desvendar do óbvio, daquele fato transformado em notícia, daquela notícia produto de um acontecimento discursivo. Deixamo-nos levar por este caminho e tentamos analisar a construção das matérias (de política) que viraram manchete em ambos os supracitados jornais e ir em busca dos defeitos de sentido instaurados nos discursos desses dois veículos de comunicação/informação. 







DÉRIKA  CORREIA VIRGULINO DE MEDEIROS

RESUMO: O objetivo deste artigo é refletir sobre como o termo comunidade vem sendo representado pela mídia tradicional, e suas implicações para a realidade social. Como objeto de análise foi utilizado o quadro “Calendário JPB”, da TV Cabo Branco, afiliada da Rede Globo. Para tanto, pode ser observado ao longo da análise, que o uso daquela palavra vem sendo empregada de forma indiscriminada, como forma de controle social e amortecimento das ações coletivas, com base em um ideal idílico comumente associado às noções de comunidade. A partir dessa proposta, pretendemos estimular uma reflexão acerca dessa forma de produzir comunicação.

JANAINE S. FREIRES AIRES

O presente estudo busca apresentar traços característicos da comunicação paraibana, no que se refere aos detentores de concessões de radiodifusão e aos novos donos de veículos de comunicação do estado, em sua maioria de portais e revistas. O objetivo é refletir sobre as  estruturas de propriedade nas quais os veículos de comunicação estão inseridos, buscando mensurar a dependência destes veículos em relação ao bolo publicitário estatal. Como metodologia, adotamos o cruzamento de informações de bancos de dados especializados no setor, como o Donos da Mídia e o Transparência Brasil. Além disso, buscamos refletir sobre dimensões que não podem ser filtradas nos bancos de dados, mas que revelam traços característicos significativos sobre a mídia no estado, como por exemplo: o estabelecimento de  sociedade entre veículos e gestores públicos e suas implicações no modelo de contratação de jornalistas. 



FABÍOLA BESSA DE CARVALHO 



De 2001 a 2010 muitas mudanças aconteceram no cenário do jornalismo on-line em João Pessoa. O surgimento e a evolução de portais de notícias mudaram o fazer jornalístico. Esta pesquisa tem como objetivo analisar as novas práticas jornalísticas dos portais de notícia de João Pessoa: Wscom, Paraíba1, Portal Correio e O Norte Online. Tendo como ponto de partida o trabalho desenvolvido para conclusão do curso de Comunicação Social, realizado em 2001, serão observadas as principais mudanças ocorridas nas práticas jornalísticas desses portais naquela época em comparação com o trabalho que desenvolvem atualmente. Também serão estudados o tratamento dado às notícias, a função dos editores e repórteres online, bem como a apuração dos dados, a investigação e o tratamento dado à notícia.





JOCÉLIO DE OLIVEIRA  E CIDOVAL MORAIS DE SOUSA 

A proposta deste trabalho é apresentar os resultados de uma investigação que teve como foco a midiatização da Ciência e da Tecnologia em jornais do Estado da Paraíba. Buscou-se, de um lado, um levantamento da ocorrência de unidades noticiosas sobre C&T, classificando-as por temas, gênero, autoria, foco, fontes, lugar de origem; e, de outro, uma análise crítica dos conteúdos. Observou-se, como tendência, uma forte ênfase das matérias para os resultados das pesquisas em detrimento dos processos de investigação; uma percepção ufanista e panacéia da ciência; e a ausência de interação com o público.



ANTONIO ROBERTO FAUSTINO DA COSTA E FREDERICO ANTONIO ALMEIDA DE OLIVEIRA

Este trabalho analisa como se dá a constituição discursiva de Campina Grande (PB), como pólo tecnológico, junto à mídia regional. Parte da preocupação de que a comunicação pública da ciência e, em particular, o jornalismo científico precisam ser qualificados, com base numa razão e ação comunicativa. Examinando o texto jornalístico à luz da análise de discurso de orientação francesa, este trabalho evidencia que, historicamente, a tendência, não apenas da imprensa regional, como também nacional e estrangeira, é de reforçar e legitimar a idéia de modernidade das classes dominantes locais. O trabalho conclui que o discurso que exalta Campina Grande como cidade high tech reitera o mito e a própria ideologia do progresso. 


WENIO TAVARES SILVA E  LUIZ CUSTÓDIO DA SILVA

Ainda são poucos os estudiosos nacionais que atuam no âmbito da pesquisa relacionada à mídia regional, pois muitos privilegiam os temas sobre experiências estrangeiras. Este artigo estuda a relação do jornal Diário da Borborema com o processo de desenvolvimento regional na década de 1980, na cidade de Campina Grande (PB). Além da pesquisa bibliográfica, foram utilizadas as técnicas de análise de conteúdo. Com todas as limitações, o DB consegue fomentar o processo de desenvolvimento da cidade em suas páginas. Pela forma como o jornal registra os fatos e acontecimentos locais, sua história confunde-se com a própria cidade de Campina Grande.


JURANI OLIVEIRA CLEMENTINO 

O objetivo principal do presente estudo é analisar, através da perspectiva de rotinas de produção, como se faz o telejornal JPB Segunda Edição da TV Paraíba, afiliada da Rede Globo em Campina Grande e integrante da Rede Regional Paraíba.  É um trabalho que também pode ser considerado como relato de uma experiência de estágio. O fundamento metodológico é a pesquisa participativa que contempla resultados de natureza qualitativa. O que podemos considerar como importante na conclusão desta pesquisa é a prevalência significativa das estratégias descritas pela teoria do Gatekeeper (selecionador) na prática diária das rotinas de produção do telejornal analisado.



DISSERTAÇÃO DE MESTRADO 
SILVANA TORQUATO FERNANDES

O presente estudo objetiva compreender como ocorreu a modernização em Campina Grande nos anos de 1960, 70 e 80 através das representações do Diário da Borborema pautado nos estudos sobre a historiografia das cidades. Nesse sentido, buscamos apresentar quais foram os indícios e sinais apresentados pelo meio impresso que caracterizaram essa busca por uma cidade moderna. A partir das noções de representação difundida pelo historiador francês  Roger Chartier, percebemos como uma determinada realidade foi construída, dada a ler. Entraram em pauta as contribuições teóricas do italiano Carlo Ginzburg, que dialoga com o modelo epistemológico chamado de paradigma indiciário. Outros autores que trabalham sobre definições e construções sobre modernização/modernidade também ajudaram a discutir esse processo em Campina Grande.  Com base nessas referências, tentamos apresentar e descrever a conquista de equipamentos considerados modernos pela elite e políticos, assim como as reformas urbanas que possibilitaram uma nova paisagem para a cidade. Além de analisarmos as representações sobre a luta pela industrialização como saída para crise que se instalou após o declínio da cultura do algodão na década de 1960. E a mudança de discurso quando o jornal encampou, juntamente com a comunidade estudantil e os políticos, o processo de reconhecimento e consolidação do ensino superior. Portanto, o que se almejou neste trabalho foi construir uma narrativa com base nas edições do Diário da Borborema sobre esse processo de modernização que tanto se almejou no século XX.


ALLYSSON VIANA MARTINS E LAÍZA FELIX DE AGUIAR



A Rede Paraíba de Comunicação realizou dois debates com os candidatos a governador do

estado às vesperas do primeiro turno das Eleições 2010, sendo o primeiro na rádio 101 FM e o segundo na TV Cabo Branco. Ambos foram retransmitidos via web no portal Paraíba 1, também pertencente ao grupo, que é o afiliado local da Rede Globo. Neste estudo, observamos como a retransmissão online, o uso do Twitter e a adição de elementos que só puderam ser utilizados na web contribuíram para a promoção de uma cobertura convergente e transmidiática, baseada nas ideias propostas, sobretudo, por Henry Jenkins.


JOSÉ ALBERTO DA NÓBREGA SIMPLÍCIO, ANDREZA DANTAS DE ALBUQUERQUE E MARY SANDRA LANDIM PINHEIRO

O presente artigo busca analisar de que forma a coluna APARTE, do Jornal da Paraíba, no período de 11 à 17 de abril de 2010, evidenciou o processo de cassação do prefeito de Campina Grande - PB, Veneziano Vital do Rêgo (PMDB). Através da análise de conteúdo, verificou-se que a coluna, que tem projeção em todo o Estado, cumpriu seu papel de dar relevância ao fato e o abordou de maneira responsável, usando o recurso das falas aspeadas para trazer à tona a questão. Apesar de não ter opinado claramente, concluiu-se que pela disposição e escolha das notas publicadas, intencionalmente ou não, o colunista Arimatea Sousa evidenciou que o julgamento emitido pelo juiz eleitoral pedindo a cassação do prefeito foi justo.

POLIANA SOUZA DE QUEIROZ LOPES

Este estudo tem como objetivo verificar como a imprensa apresenta o Nordeste Semiárido, a partir do exame de textos jornalísticos veiculados no jornal Correio da Paraíba. Levando em consideração um recorte temporal dos meses mais quentes do ano, outubro, novembro e dezembro, mapeamos as ocorrências dos itens noticiosos que versam sobre a região. Como aporte teórico, utilizamos um apanhado bibliográfico a respeito do Nordeste Semiárido, do campo jornalístico como construtor da realidade, a noticiabilidade e seus valores-notícia, visando subsidiar o entendimento sobre os quesitos levantados pela pesquisa.


RODOLPHO RAPHAEL  DE OLIVEIRA SANTOS

A política está sempre em um processo contínuo de mudança para se adequar aos novos contextos da sociedade em que ela está inserida, afinal “a atividade política continua em movimento, aberta a novas transformações”. Com a instauração da democracia em vários governos, ocasionada pela queda de regimes absolutistas, a política passou a configurar novas formas para se comunicar com o seu público alvo. A intenção do discurso político se modifica, a partir do advento da democracia, deixando de ser proferido com a intenção de convencer e passa ser utilizado para conquistar o público, se tornando um discurso persuasivo; por que o poder de eleger o governante passa a estar na mão do eleitor, que é o cidadão, através do voto. Neste artigo iremos abrir o debate acerca das duas facções políticas na cidade de Esperança, cidade situada no Agreste paraibano que reversam de poder a aproximadamente oito décadas. Como metodologia, usaremos a pesquisa bibliográfica de cunho teórico, utilizando obras da sociologia e da antropologia produzidas sobre o contexto social da política e da democracia.

RODOLPHO RAPHAEL DE  OLIVEIRA SANTOS

Este artigo tem por objetivo mostrar como surgiram as rádios comunitárias, mostrando o seu panorama no Brasil e no estado da Paraíba a partir de uma visão crítica do setor e da sua vinculação com os movimentos sociais, visando os desafios e problemas na rotina de trabalho destas emissoras, principalmente quando se avalia o cenário de ampla concentração dos meios de comunicação, como também a organização de uma contraproposta feita pelo governo federal para avaliar a situação e propor medidas para apoiar o acréscimo destas emissoras perante o Ministério das Comunicações. 

RODOLPHO RAPHAEL DE OLIVEIRA SANTOS

Com a instauração da democracia em vários governos, ocasionada pela queda de regimes absolutistas, a política passou a configurar novas formas para se comunicar com o seu público alvo. E foi através do exercício da democracia, que Esperança, cidade do agreste paraibano, com 24.618 eleitores e localizada a 125 km da capital João Pessoa, se tornou referência para algo que nunca foi visto na jurisdição eleitoral de nenhum lugar do Brasil. Após uma campanha marcada por inúmeros embates, e com dúvidas de quem iria assumir o mandato, o “Caso Esperança” como ficou conhecido pela imprensa paraibana teve seu fim no em março de 2013. Vários jornais realizaram a cobertura jornalística de todo o processo eleitoral. Neste contexto o presente trabalho analisou como a imprensa Paraibana tratou as eleições municipais da cidade de Esperança e como se comportou em um período caracterizado por inúmeras tensões como é o processo eleitoral e em nosso caso pós-eleitoral. Para isso, foram analisados alguns portais e blogs do estado no período entre outubro de 2012 a março de 2013



Coprights @ 2016, Blogger Templates Designed By Templateism | Templatelib